Agronegócio 2020
Um novo ano nasce e as expectativas aumentam para a alta produtividade no campo

Como será o agronegócio em 2020 é uma pergunta muito delicada. Para nos ajudar a estabelecer um breve cenário, vamos enfim ver como foi o ano anterior para lembrarmos alguns aspectos.

Definitivamente 2019 foi um ano agitado para o agronegócio. No início, as incertezas de uma nova gestão federal e a guerra comercial entre EUA e China, geraram interrogações na cabeça do produtor rural. Entretanto, algumas das questões se desfizeram no decorrer do caminho e os números começaram a aparecer.

De um lado as safras da soja e do algodão foram excelentes. De outro, produtores de leite e arroz amargaram resultados nada positivos. Apesar dos contrastes, o crescimento de 1,4% do agronegócio registrado no final de novembro pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), foi melhor do que o 0,5% previsto no início do ano.

Para a Agência Brasil (EBC), o presidente do Ipea Carlos von Doellinger disse:  “(Para 2020) O PIB do agronegócio vai puxar o crescimento do PIB nacional. O setor agropecuário está tendo um comportamento com perspectiva muito favorável. É uma vocação do Brasil, o país sempre teve vantagem comparativa”, assinalou. Vale lembrar que o PIB – Produto Interno Bruto – nacional fechou 2019 com crescimento de somente 1%.

O que esperar do agronegócio em 2020

A expectativa para o agronegócio em 2020 é muito positiva. O Ipea projeta crescimento de 3,2% a 3,7% do setor. Analistas brasileiros acreditam que o milho será “a estrela de 2020”. Além disso, no exterior as perspectivas para o agro Brasil também são boas. A consultoria financeira holandesa Rabobank afirma que apesar da recuperação lenta e gradual da economia, a produção e exportações do agronegócio brasileiro irão crescer.

Veja o que diz um relatório formulado pelo Rabobank:

As exportações devem crescer cerca de 10%, principalmente por conta da demanda chinesa e da Arábia Saudita que habilitou em novembro oito novos frigoríficos brasileiros para exportação.

Soja

Estima-se que a área de soja semeada no Brasil atinja 36,5 milhões de hectares na safra 2019/20, aumento de 1,7%. Por isso, a safra poderá atingir cerca de 122 milhões de toneladas, o que seria um crescimento de 6% ante a temporada anterior. Além disso, o país deve se tornar o maior produtor e exportador mundial do grão superando nos dois quesitos os EUA. Cenário desafiador para boas margens de preços.

Milho

A produção de milho pode atingir 99 milhões de toneladas nesta safra. Por este motivo, a estimativa é que o volume de exportações de milho em 2020 esteja próximo de 30 milhões de toneladas.

Café

Espera-se uma boa produção, principalmente devido ao ciclo bienal positivo no país. Estima-se safra de 2020/21 em 66,7 milhões de sacas, ante (57,6 milhões em 2019), das quais aproximadamente 20,8 milhões de sacas do tipo robusta.

Cana de Açúcar

O cenário é estável, semelhante ao de 2019, preocupa os produtores. Mas 2020 é o ano do RenovaBio. Expectativa forte entorno do preço do petróleo alto, câmbio fraco, receita adicional vindo do RenovaBio e a manutenção de um consumo robusto de etanol hidratado, apontam para mais uma safra focada no combustível em 2020/21.

Ano novo e muitos desafios 

O setor do agronegócio é responsável por quase 25% de tudo que é produzido no país. A importância do setor é indiscutível e os números e perspectivais para 2020 são excelentes.

O produtor rural deve estar atento aos índices e cotações do mercado. Além disso, o trabalho no campo deverá ser de intensa produtividade.

Um fator importante a ser observado com atenção é o aumento da tensão no Oriente Médio, que pode gerar oscilação no preço dos combustíveis já no primeiro trimestre do ano.

É importante lembrar que todo o investimento em tecnologia e conhecimento, sempre ajudará a ter melhores resultados. Conclusão, o desafio para o agronegócio em 2020 está lançado.

 

Deixe seu comentário

Rolar para cima